Vivian, mãe brasileira do outro lado do mundo

Vivian, mãe brasileira do outro lado do mundo

Hoje apresento o depoimento da minha amiga Vivian, que mora na Austrália e tem uma história bacana para nos contar.

Nos conhecemos na adolescência, desde lá nunca mais perdemos o contato, sempre falamos que somos irmãs de coração. São tantas coincidências boas que nos unem, que temos certeza que nossa amizade vem de outras vidas. Falamos muito por Viber e continuamos trocando confidências. Toda vez que acabamos a ligação (que sempre dura mais de 1 hora) tenho uma sensação tão boa, que parece que o tempo não passou, que nossa amizade continua exatamente a mesma.

Essa minha amiga vale ouro, uma das pessoas mais especiais e dedicadas que eu conheço.

Vi, muito obrigada por compartilhar sua história conosco. Bjs

foto

A decisão de vir para a Austrália foi bem rápida para que não perdêssemos uma oportunidade que apareceu do nada. Eu e meu marido sempre sonhávamos em morar na praia e sair um pouco do tumulto da cidade. Eu trabalhava como educadora em uma escola pública e meu marido era gerente de banco. Um dia, ele chegou para mim e falou (novembro 2007): “Vamos morar na Austrália? ” Eu concordei na hora, até porque na realidade, não imaginava que ele estivesse realmente falando sério.

Como assim ir para o outro lado do mundo, viver longe da família, como vamos arrumar emprego se não sabemos falar nada em inglês? Muitas questões vieram à minha cabeça naquele momento. Dúvidas mais também tinha um  lado que dizia: Vai guria, não seja boba, se não fizer isso agora tu nunca mais vai fazer.

Como poderei ter um filho do outro lado do mundo sem ter nenhuma estabilidade econômica, nem minha família por perto? Adiar ou não adiar o sonho de ser mãe? Tentar a vida num país com qualidade de vida, segurança, educação e a possibilidade de conviver com pessoas de todos os lugares do mundo? YES! Claro que eu queria isso para a nossa vida e futuramente para o nosso filho.

Pesquisamos muito sobre a vida em Sydney, e mantivemos contatos com conhecidos que já viviam aqui. 18 de marco de 2008 aterrissamos na Aussie Land. Nossa, lembro como se fosse hoje aquela sensação inexplicável, e o frio na barriga quando vimos esse lugar pela primeira vez. Tudo era diferente e lindo! Quando vimos algumas praias e onde moraríamos pensei… isso aqui é tudo o que sempre sonhamos!

Os primeiros meses foram de encantamento, tudo era novidade, cada dia conhecíamos algo novo, muito legal. Depois começou a “cair um pouco a ficha” e o dinheiro diminuir. Meu primeiro emprego foi de babá da Lulu e Luca, filhos de uma família maravilhosa de brasileiros, o que foi muito legal e ajudou bastante no começo de nossa vida aqui. Mas com o passar do tempo, estudar das oito da manhã até as quatro da tarde, sair da escola e ir trabalhar ficou cansativo…eu já não tinha mais 20 anos, e já tinha feito muito isso quando era mais nova. Fiquei exausta aquela época e ,por alguns segundo,s pensei em voltar ao Brasil. Meu marido começou a trabalhar em uma pizzaria de um brasileiro casado com uma australiana, nossos grandes amigos até hoje, mas o dinheiro não era suficiente, já que o custo de vida em Sydney e super caro.

No primeiro ano de Austrália trabalhei em mais de dez diferentes empregos, os dois primeiros anos aqui foram de muiiiiiiito trabalho, estudo e focus, até porque se não tivéssemos feito isso, não teríamos conquistado a nossa residência aqui. Isso é certo, se pensas em morar em outro país, te prepara para trabalhar muito e trabalhar em profissões que nunca pensarias em trabalhar na vida! Vais descobrir que és muito talentosa em outras profissões, e pode fazer um bom dinheiro com isso.

A saudade da família e imensa nos primeiros anos, mas depois com o tempo a gente começa a se adaptar um pouco. Sorte minha que tenho uma família maravilhosa que sempre nos apoiou e incentivou para não desistir dos nossos sonhos, mesmo que isso implicasse em morar longe deles. E sorte que existe Skype, e assim posso conversar e ver a minha família a qualquer momento, grande ajuda!

Nos anos seguintes já estávamos adaptados a nova vida, já conseguíamos nos comunicar melhor, e eu já tinha conseguido emprego na minha área: educação. Assim que nos estabilizamos financeiramente, decidimos nos preparar para a chegada do nosso baby. Noah nasceu ano passado, cheio de saúde, lindo e maravilhoso. A melhor coisa que podia acontecer na nossa vida! Somos uma família muito feliz derês muito feliz aqui do outro lado do mundo.

Conciliar a maternidade e o trabalho não foi fácil nos primeiros meses, mas uma vez que vi que Noah estava super adaptado e feliz por fazer novas amizades, eu fiquei mais tranquila. Claro que trabalhar na mesma escola que ele frequenta é bem mais fácil. Confesso que toda vez que vou ao banheiro ou na secretaria, sempre dou uma olhadinha para ver o que ele anda fazendo. Voltei a trabalhar quando Noah tinha quase 11 meses e já estava caminhando. A adaptação dele na escola foi tranquila, já que durante meus intervalos de almoço eu ia na sala dele para ficar e brincar com ele por uma hora. Noah sempre foi uma criança tranquila e segura, o que facilitou na adaptação, dele e na minha também.

Todo mundo pergunta:E ai, quando volta para o Brasil? Não me vejo mais morando no Brasil, nossa vida é aqui agora. Morro de saudades da família e amigas queridas, mas é isso. Moramos a uma quadra do mar e a uma quadra do lago. Trabalho a sete minutos de casa, meu marido finalmente trabalha com algo que ama a culinária, a comunidade brasileira promove eventos culturais bem bacanas e mantem a língua portuguesa viva aqui nas praias do norte de Sydney. Tudo funciona, podemos sair na rua a noite que nada de ruim acontece, os parques são limpos e estruturados, tenho amigos de todos os lados do mundo. Meu filho, que já e bilíngue, terá oportunidade de aprender uma outra língua ou mais se ele quiser, já que a maioria das escolas públicas ensinam outras línguas. Graças a Deus, hoje em dia temos condições de pelo menos visitar a família. Estamos muito felizes aqui em Sydney, e planejando as nossas próximas conquistas.

Para aqueles que pensam em começar do zero e mudar para um outro lugar do mundo, eu diria vai e vai logo, mas é importante que aprenda um pouco da língua falada antes. Isso vai ajudar muito no início. Sem dúvida nenhuma morar na Austrália foi uma das decisões mais certas que fiz na minha vida, e hoje não me arrependo nem um pouco de todos os sacrifícios e sonhos adiados.

Se o Noah fosse…

Um filme: Happy feet

Um livro: Guess how much I love you, Sam McBratney

Uma música: You are my sunshine

Uma flor: Uma orquídea linda

Um prato: Pizza

Uma cor: Branco

Um animal: Leao ou um dinossauro amigável

Um sentimento: amor total

Um local na cidade: praia

Um tipo de roupa: bermuda

Um perfume: Mamãe bebê da Natura

Um sabor: morango

Uma palavra: Vida

Um objeto: uma máquina de fazer a pessoa sorrir

Um tipo de brinquedo: um coelhinho de pelúcia bem fofo

Uma parte do corpo: coração

O que a mamãe sonha para o futuro do Noah: Meu sonho e que a nossa família seja sempre muito saudável, feliz e próxima. Que a gente continue se curtindo muito e que sejamos sempre confiantes que vamos conquista

 1610079_853630241317552_575795538_n

(Visited 635 times, 1 visits today)
Thaís Vilarinho

Mãe de dois meninos lindos Matheus e Thomás, Fonoaudióloga Clínica. Pratico corrida e Muay Thai. Adoro escrever, viajar, escutar música, ver um bom filme, sair e estar com a família e os amigos. Sou curiosa, adoro conhecer e aprender coisas novas.

Share This Post

3 Comentários

  1. Denise Carvalho - 25 de junho de 2014

    Que linda Vivi que o escreveu sua história te conheci na infância e um pouco fase de adolescentes quando eu só visita a minha Vó e quando vim morar aqui já estava indo para Austrália… fico muito feliz mesmo por todas as conquistas merece muito! Adorei te reencontrar quando veio visitar a sua família! Parabéns tens uma família linda! Adorei o seu depoimento! Grande beijo Denise Carvalho

  2. Aline Manzoni - 26 de junho de 2014

    Vi…linda tua historia…te conheço faz muito anos, fomos até parente e sei o quanto tu amadureceu e é feliz…a vida é feita de escolhas, de mudanças e de conquistas…seja sempre feliz…bjos para todos os parentes e amigos da Austrália. Até…Com carinho!! Aline Manzoni

  3. IARA BARBOZA PAIL - 27 de junho de 2014

    QUE linda tuas palavras VÍVIAN, CONFESSO TER SENTIDO A SAUDADES AUMENTAR ,E FELIZ COM A TUA FELICIDADE. MUITO CERTA ESTAÕ VOCÊS EM TEREM SAIDO DO BRASIL PARA PROCURAR NOVOS HORIZONTES…POIS É UMA PENA PARA JOVENS ,CRIANÇAS QUE HOJE VIVEM AQUI , MORAREM NUM PAÍS QUE SÓ ESPORTA VERGONHA.POBREZA, FALTA DE DIGNIDADE DOS QUE GOVERNO ESTE BELO PAÍ, E RICO. MAS QUE ESTÁ ESTAGNADO COMO O PAÍS DE LADRÕES CORRUPTOS.. POR ISSO TE DIGO PARABÉNS PELA TUA CORAGEM,TUA E DO EDUARDO,QUE FORMARAM UMA FAMÍLIA LINDA NUM PAÍS COMO A AUSTRÁLIA… ONDE ATÉ AS CRIANÇAS SAÕ VALORIZADAS COMO DEVEM SER ,TER CONDIÇÃO DE ATENDIMENTO NAS COISAS MAIS IMPORTANTES QUE´É SAÚDE E SEGURANÇA. E EDUCAÇÃO. A SAUDADE COMPENSA COM AS FOTOS INTERNT .. UM BEIJO NO TEU CORAÇÃO NO TEU LINDO FILHOTINHO E TEU MARIDO OK.. FIQUEM COM DEUS!!!!!!!!!!

Escreva um comentário