Ensinando os filhos a “usar” a vida

Ensinando os filhos a “usar” a vida

35 para 36 anos… pensamentos, idéias, projetos cabeça a milhão…

Entre tantos questionamentos, algo pontual tem martelado minha cabeça.

Será que essa nossa geração de pais e mães não está protegendo e atrapalhando o desenvolvimento dos filhos com tanto “não pode”, “cuidado”, “vai estragar”?

Escuto isso o dia todo vindo de mim, do meu marido, de amigas e amigos que são pais e de mim, para mim mesma! Como podemos ter ficado tão chatos?

Só para constar, não que eu ache certo não ensinar os filhos a dar valor ao que se tem e ter um certo “cuidado” conosco e com nossas coisas, mas acho sim que o exagero vira um tipo de loucura, e que esse nosso comportamento, a longo prazo,  pode se tornar extremamente negativo para os nossos filhos!

O que será que está acontecendo com a nossa a geração? Guardamos para quê? Não estragamos para quê? Tanto cuidado para quê meu Deus?

Vamos USAR a nossa vida e ensinar nossos filhos a USAREM a deles! Usar o corpo, machucar, sangrar, se recuperar faz parte, ver a casquinha se formar sobre o machucado, arrancar a casquinha e sangrar de novo… lembram disso? Pular no sofá, fazer arte, tudo isso é importantíssimo para o desenvolvimento das crianças.

Você deve estar pensando: Meu filho já se machucou, já sangrou, entretanto, se você relembrar sua infância vai notar que a frequência dos machucados dos nossos filhos é muito menor, e a única resposta que encontro para isso é a superproteção, o medo de que algo de ruim aconteça com eles, como se fossemos protegê-los das dores da vida.

Percebem que, inconscientemente (ou não),  estamos podando nossos filhos e não dando a eles chance de encontrar saída. Saída? Sim, saída para viverem a infância deles com tudo o que tem direito! Nossa geração de pais está criando crianças acomodadas e mimadas com tanta gente em cima o tempo todo! Caramba não damos folga para eles… É toda hora: “Cuidado vai cair!”, ‘Não pode vai machucar!”, “Não faz isso vai estragar!”. E a frustração que é tão necessária,  não vão sentir? E o sentimento de arriscar tão importante, vamos podar?

É fato que o mundo de hoje é perigoso, e que por isso estamos muito mais por perto das nossas crianças do que os nossos pais estiveram da gente porém, precisamos entender a importância de encontrarmos formas para que nossos filhos sintam-se livres, donos do próprio corpo e da própria mente, pois só assim terão coragem de arriscar e passar por experiências necessárias durante a infância para tornarem-se adultos seguros e independentes.

A vida, o corpo, a mente, as roupas e as coisas estão aí para serem usadas. Vamos fazer uso de tudo porque a vida passa rápido demais para ficarmos tomando tanto cuidado com tudo!

Vamos preferir crianças quietinhas de roupinhas novas e intactas, casas todas arrumadas sem espaço para a bagunça e para a  imaginação, e com a folha da infância em branco; ou vamos preferir que nossas crianças se mexam, se arrisquem e se orgulhem das marcas deixadas no corpo por terem tido uma infância bem vivida e terem a folha da infância cheia de marcas e histórias para contar?

Por isso faço um convite à vocês: Encontrem formas de dar liberdade para seus filhos, e de uma vez por todas vamos ensiná-los a USAR a vida deles sem tanto  MIMI, medo e cuidados!

E posso falar, o que os olhos não vêem o coração não sente! Precisamos nos libertar dos nossos filhos para que eles se tornem livres para a vida!

 

(Visited 1.356 times, 1 visits today)
Thaís Vilarinho

Mãe de dois meninos lindos Matheus e Thomás, Fonoaudióloga Clínica. Pratico corrida e Muay Thai. Adoro escrever, viajar, escutar música, ver um bom filme, sair e estar com a família e os amigos. Sou curiosa, adoro conhecer e aprender coisas novas.

Share This Post

9 Comentários

  1. Karina - 20 de fevereiro de 2015

    Pois é, não é que é verdade. Acho que no meu inconsciente é por isso que fico tao feliz quando vejo os meninos bem sujos, como nós ficávamos, afinal isso hoje passou a ser exceção e não a regra.

  2. Thaís Vilarinho
    Thaís Vilarinho - 20 de fevereiro de 2015

    Bem isso Ka! Fico feliz que vc lê os textos! Bjos

  3. Ana Souza - 20 de fevereiro de 2015

    É isso mesmo. Me pego várias vezes super protegendo meu filho, exagerando no cuidado. E isso realmente não. Tempo que não volta. Hora de mudar de postura. De atitude e deixá-lo um pouco livre.
    #TextoParaReflexão

  4. Carolina - 21 de fevereiro de 2015

    Thais, para criancas felizes existe OMO certo? Rs
    Antes de ter filhos, me perguntava como fulana deixa o filho dela fazer tida essa zona na sala???, como ciclana deixa fazer essa bagunca??? E por muito tempo, minha casa era a casa tipica da Tia “Afonsa” , uma casa de revista, nada fora do lugar!! Ai vieram os filhos, e junto com eles nasceu uma nova Carolina…hoje em dia, na minha casa, nada esta no lugar, nem eu mesma…. Rs! Mas a vida ficou mais leve, afinal eles nao serao criancas para sempre ne! ? Quanto a super protecao, ah quanto a isso ainda tenho muuito que aprender muiiita terapia pela frente. Enquanto nao mudo, sigo em frente. Mae erra tentando acertar …
    Super beijo pra vcs!!

    • Thaís Vilarinho
      Thaís Vilarinho - 24 de fevereiro de 2015

      Oi Carol!!! É isso mesmo mãe erra querendo acertar!! São cisas difíceis de lidar mas que tem que ser faladas para estimular todas nós a sabermos lidar da melhor forma possível com a maternidade! Bjos com carinho!

  5. Ana Laura Villagelin - 22 de fevereiro de 2015

    Adorei Tha! é isso mesmo….mil bjs, parabéns!

  6. Bianca - 3 de janeiro de 2016

    Que delicia ler isso. Partilho da mesma opiniao. Mas tambem erro muito tentando acertar… hehe
    Tenho 3 filhos.
    O Gui de 4 anos e os gemeos Alice e Joaquim de 2 anos e meio…
    A cobrança externa é muito grande e brutal. Casa tem que estar impecavel, criancas sempre lindas e cheirosas, brincando sempre quietinhos só com os brinquedos deles….. oopaa….
    Meu armario de coisas descartaveis é uma grande atraçao enquanto cozinho com os pequenos nos meus pés ….
    Como bem dito acima. Eles crescem. Tudo passa. Tudo é um ciclo. Fases…. e sentiremos saudades… com certeza!
    Parabens. Saude e sucessso. Alegria e saude aos seus tesouros. Bjs

Escreva um comentário