Quanto tempo do seu dia é realmente seu?

Quanto tempo do seu dia é realmente seu?

Já parou para pensar nisso? Tem dias que a gente corre demais atrás de filho, trabalho, casa e quando vai ver já acabou o dia, e, muitas vezes, nem nos olhamos no espelho.

Estou exatamente em um dia como esse, sem tempo para nada. Estudando com um, dando atenção para o outro, almoçando rápido para levá-los na escola, voando para tomar banho para trabalhar. Nossa, corro demais. De verdade se não tivesse um tempinho só para mim acho que surtaria!

Não pode ser saúdavel para um ser humano não fazer nada para si. Entendo que somos mães e que precisamos dar amor, carinho, atenção e educação para os nosso filhos. Isso é primordial! Entendo também que precisamos trabalhar, ou em casa, ou fora, ou as duas coisas. Mas não dá para não termos tempo pra gente pelo menos 1 vez na semana ou uma vez por mês que seja.

Depois que nos tornamos mães a maior  parte do nosso tempo não é mais só nosso. Mas não podemos aceitar que não sobre nenhum tempo pra gente. Quando eles são muito pequenos eu até entendo. É o dia todo em função de dar de mamar, banho, trocar fraldas, tem a casa e tudo mais. Mas eles crescem rápido e podemos contar com pessoas próximas para encontrarmos o nosso tempo. Se não aprendermos a aceitar ajuda e entender que o pai também tem o papel dele em relação aos filhos o tal do tempo só nosso nunca vai existir.

Falar que não tem como ter um tempo só para você é o caminho mais fácil para continuar onde está. Mas se você realmente se importa consigo mesma, vai encontrar um caminho para poder encontrar e ter esse tempo. Depois que eu percebi que precisava sair um pouco da bolha da maternidade e fiz acontecer para ter meu tempo as coisas mudaram por aqui. Para começar por mim que consigo recarregar as energias e voltar feliz para casa, além disso foi muito importante para os meninos ficarem mais com o pai, com os avós e saberem viver sem a mãe por perto por algum tempo. Acho, de verdade, que isso ajudou na questão de independência dos dois.

Essa história de: ‘Eu não tenho babá.” não cola, porque a criança se não tem pai tem avós, se não tem avós a mãe tem amigos e amigas ou seja, dá pra se organizar.

Eu por exemplo, para ter meu tempo acordo mais cedo do que acordava, mudei minha rotina para poder fazer meus exercícios. Poderia muito bem colocar desculpa nas crianças e não fazer atividade física nenhuma. Mas quando vi que era extremamente importante para o meu bem estar me virei para poder ir.

E o que fazer nesse tempo? Nossa tanta coisa, desde não fazer NADA,  ler um livro, dar uma caminhada, ir no cinema, praticar um esporte até sair com as amigas, jantar com o marido.

Meninas, pensem nisso com carinho, saiam da caixa, procurem um tempo que vai ser só de vocês, tenho certeza que a maternidade e a cabeça vão ficar mais leves!

Com carinho,

Thaís

(Visited 418 times, 1 visits today)
Thaís Vilarinho

Mãe de dois meninos lindos Matheus e Thomás, Fonoaudióloga Clínica. Pratico corrida e Muay Thai. Adoro escrever, viajar, escutar música, ver um bom filme, sair e estar com a família e os amigos. Sou curiosa, adoro conhecer e aprender coisas novas.

Share This Post

Escreva um comentário