Síndrome do colo vazio (ou sim, eles crescem rápido)

Síndrome do colo vazio (ou sim, eles crescem rápido)

Sempre chega alguém e comenta: Nossa, como seus filhos cresceram. Não vou mentir, tem dias que eu acho que meus filhos demoram tanto para crescer… nesses dias geralmente estou exausta da”lida” materna e cansada de tanta malcriação dos dois. Da vontade de responder: Ah é? Você acha mesmo? Então vai passar uns dias lá em casa para ver como demoram para crescer!

Entretanto, tem dias que bate um desespero de pensar que, aqueles bebês que eu amamentava, carregava nos braços e trocava as fraldas, já são dois meninos enormes! E hoje, está sendo um dia desses…

Meu Deus, eles não cabem mais no meu colo! Tento aconchegá-los da melhor forma possível, mas suas pernas compridas insistem em não caber no lugar que era, para eles, o melhor lugar do mundo. O mesmo colo que era tão disputado pelos dois, agora está sendo deixado de lado. Na frente dos outros então, o mais velho já diz: nem pensar, né mamãe, não sou mais bebê!

Levo (ou tento levar) da forma mais natural possível essa questão, mas preciso confessar que ando sentindo isso com tanta intensidade que até parece uma síndrome, e que acabei definindo esse sentimento de “síndrome do colo vazio”!

É uma angustia gigantesca de querer proteger, dar colo e aconchego aos filhos. A síndrome começa a dar as caras começa quando os filhos não nos procuram mais com tanta frequência ou dependência. Acomete aquelas mães que amavam brincar de ser mãe na infância e passavam horas e horas com as bonecas no colo! Ou as mães que são extremamente emotivas e sentimentais, ahhhh… e, por fim, as com TPM lascada! Coitada de mim… me enquadro em TODAS essas situações, e ela me pegou de jeito nos últimos dias!  Rsrs!

Aposto que você também fica exausta com todas as funções que a maternidade gera, acha que que só o filho do vizinho cresce rápido. Mas espere só até adquirir  essa tal síndrome para achar, com toda certeza, que o tempo voou! Vai ficar melosa com os filhos e querer ficar agarradinha neles o máximo de tempo possível, pois depois da “síndrome do colo vazio”, vai sentir que o tempo realmente passa rápido demais!

E as perguntas aparecem: Será que eu perdi algo durante esses anos? Será que aproveitei o máximo dos meninos quando eram bebês? Por que será que sinto essa saudade gigante de tê-los nos braços de novo?

Não vou mentir: a sensação de não tê-los no colo, sentir que o colo não tem mais muito significado para eles, é dolorida! Eu sei, eu sei… se não querem mais colo, significa que estão crescendo felizes e saudáveis, e que eu estou educando da maneira correta, visando a independência deles. Filho se cria para o mundo e coisa e tal, já dizia a minha mãe… Mas quando você sentir as sensações dessa tal síndrome, você vai me entender!

Juro que um dos efeitos colaterais é ter vontade do terceiro filho (ou do segundo, ou do quarto, ou do quinto…). E vou te dizer mais: esse é um efeito colateral um tanto quanto perigoso, já que nesse momento estamos fragilizadas e querendo dar colo. Ahhh, e não adianta pensar que você irá satisfazer a sua vontade carregando um sobrinho, ou o filho de uma amiga no colo. A saudade que dá, é a do seu colo ser o lugar mais aconchegante do mundo para alguém, e que não terá esse significado para outra criança que não o seu próprio filho.

Por isso, todo o cuidado é pouco. A reflexão que eu faço é: bom, se for assim, então não vou poder parar de ter filhos porque esse tal sentimento uma hora sempre vai aparecer. Por isso penso muito que por mais que eu sinta saudade de dar colo, de ser mãe de um bebê, não posso esquecer da responsabilidade que tenho com os meus dois e, além disso, pensar no que eu quero realmente para a minha vida. Quais são meus projetos? Será que a vontade de ter mais um bebê é porque eu realmente quero ter um terceiro filho, ou por esse saudosismo gerado por essa tal síndrome?

E eu acho que é isso, pensando na minha vida, na minha família e nas minhas vontades, com um pouco de racionalidade, consigo sair um pouco desse sentimento e perceber que eu realmente não quero outro filho, e que essa síndrome vai habitar para sempre o meu coração. Fazer o que né? É um dos preços que se paga por sentir o maior amor do mundo!

(Visited 3.575 times, 1 visits today)
Thaís Vilarinho

Mãe de dois meninos lindos Matheus e Thomás, Fonoaudióloga Clínica. Pratico corrida e Muay Thai. Adoro escrever, viajar, escutar música, ver um bom filme, sair e estar com a família e os amigos. Sou curiosa, adoro conhecer e aprender coisas novas.

Share This Post

13 Comentários

  1. Karina - 16 de setembro de 2015

    Estou no auge da minha TPM, chorando aos prantos com este texto. Ainda nem tenho o colo vazio, mas já doeu em mim. Meu ex-bebê já está com 2 anos e um mês e todos me perguntam quando ele largará o peito. Simplesmente respondo, quando ele quiser. Sei bem que a amamentação hoje me alimenta muito mais do que a ele.

  2. zilda drummond - 16 de setembro de 2015

    Thais, como sempre os textos que escreve vão de encontro a todos os meus pensamentos. Sinto-me exatamente como vc: o tempo passou rápido demais e a dependência das minhas meninas hj, é muito menor. É isso: síndrome do colo vazio!!! Que a gente consiga superar… Bjs.

  3. Lisiê - 16 de setembro de 2015

    Nossa Thaís! Vc lê pensamentos? Estou sentindo isso já faz algum meses, minhas filhas estão com 10 e 07 anos reescen feitos! Sinto saudade de dar colo, de dormir com aquelas mãozinhas passando no meu cabelo…sinto vontade de ter outro filho…Patabens ótimo texto.

  4. Marcia - 16 de setembro de 2015

    O que falar desse texto?!?! Super hiper mega verdadeiro e, quem já tem os filhos crescidinhos vai ficar assim como eu, vc, e tantas outras mamães. Amei o nome da Síndrome, vc devia patentear! Rsrsr
    Por aqui ainda consigo pegar no colo, agradeço profundamente cada manhã acordada junto com meu pequeno, aquele chamego ainda na cama sabe? Sei exatamente o valor que esses momentos tem e espero que, ele cresça sim, mas que tenha esses momentos guardados bem lá no fundo! Qdo ainda cabia no meu colo e cada palavra dita por mim era a mais absoluta verdade do mundo!

  5. Isabel - 17 de setembro de 2015

    É exatamente isso! Vc conseguiu colocar em palavras tudo aquilo q sinto! Os meus ainda conseguem se apertar e entrar no colo, mas isso nao ira durar para sempre! O coração pede mais um, a razao me diz nao! Cada vez que vejo uma pequena mao, uma nuquinha cheirosa, um perfil redondinho, o coracao explode e me traz a certeza da vontade em passar novamente pela experiencia do reencontro, poder dizer, oi a mamae te ama, seja bem vindo ao nosso mundo! Por muitas x me pego pensando se essa saudade é um sinal la de cima, de um ser especial, que quer fazer parte do meu universo e isso me faz imaginar que se realmente for, como posso nao permitir, sendo assim a saudade futura pelo pequenino, (caso viesse)seria mais leve e passageira, qdo ja crescido, pq estariamos completos! Por outro lado pode ser ilusorio e a saudade sempre se fazer presente de forma forte e assustadora! O ponto pega tao intensamente que nao sei o caminho a tomar, pq certamente ha o lado, da preocupaçao, responsabilidade, etc etc… É um ponto a se pensar e eu estou longe de conseguir a resposta! Sendo assim vou vivendo e curtindo os meus tesouros, antes que criem asas!

  6. Ana Yuan - 22 de setembro de 2015

    Nossa que texto lindo e realllll,rsss minha filha está com 9 anos, como está grande, mudando os pensamentos, a forma de se vestir, vejo as fotos dela bebe e dá uma saudade. Npa não falo isso a ela,,uma vez quando era menor falei brincando que ela poderia ficar pequena para sempre e depois ela começou a chorar que não queria crescer,,,,para assim atender meu desejo,,,rsss tadinha. Mas dá um aperto mesmo, mas é o curso natural, mas a falta é de verdade, falta de dar colo de ser o colo o tempo todo,,mas enfim eles estão felizes crescendo e nos amando cada vez mais bjs, parabéns pelo post

    http://www.antestardedoquenunca1.blogspot.com

  7. Ariele Braga - 25 de janeiro de 2016

    Definiu tudo que eu estou sentindo com a minha filha de 4 anos. Ontem chorei horrores…tbm tô de TPM rs!

Escreva um comentário