Rafaela Azevedo, mãe e fotógrafa das emoções

Rafaela Azevedo, mãe e fotógrafa das emoções

Conheci a Rafaela quando estava preparando o meu casamento. Sempre adorei fotografia, e quando vi seu trabalho não tive dúvidas que ela faria as fotos do meu casamento.

É difícil entender o que eu digo até que você conheça o trabalho dela com seus próprios olhos. Dêem uma olhada no site:  http://www.rafaelaazevedo.com/. Rafaela realmente fotografa emoções. Não foi à toa que cheguei nela para fazer a primeira entrevista do “O que te faz feliz”, pensem bem como tem tudo a ver com o blog: mãe=emoção=realização=felicidade=foto!

Com vocês Rafaela Azevedo, uma mãe feliz, realizada e fora da caixa:

Como e quando surgiu sua paixão pela fotografia?  

Acho que eu sempre tive um encanto por imagens, desde pequena gosto de fotos. Na casa de meus pais, as fotos ficavam no armário dele, organizadas em caixas e alguns álbuns. Sempre que tinha um tempo, eu estava lá, ficava horas olhando aquelas imagens, espalhava em cima da cama e adorava olhar, uma por uma. Tinha um fascínio por aquelas memórias, mas nunca tinha pensado em me tornar fotógrafa. Foi na faculdade de Artes que esta paixão se revelou. A fotografia tornou-se parte de mim, senti que aquela forma de expressão seria meu diálogo com o mundo ao meu redor. Fotografar me trazia felicidade. Isto foi no segundo ano de faculdade, em 1996. Desde aquele tempo nunca mais parei de fotografar.

Como você decidiu passar a fotografia de paixão para profissão/paixão? 

O início foi no casamento de meu primo. Era convidada, mas levei minha câmera, fiz algumas fotos em PB e dei para eles de presente. Eles curtiram e partir daí, a mulher de meu primo começou a falar para as amigas que eu fazia fotos de casamento de um jeito diferente. Foi meio sem querer, acredito que era destino, a vida acabou me levando à este caminho, e eu me apaixonei por esta profissão. Adoro a adrenalina que sinto ao fotografar um casamento, consigo sentir as emoções presentes nas cerimônias e a felicidade que vibra em uma festa.

Quando nasceu sua primeira filha, você ficou insegura com relação a ser mãe e ter que trabalhar? Ficou na dúvida se ia dar conta de tudo? Pensou em algum momento em deixar a fotografia só como um hobby para ficar somente com a sua filha?

Eu estava começando a fotografar casamentos quando fiquei grávida de minha primeira filha, a Victória, então as duas coisas aconteceram juntas. Minha agenda era bem tranquila, foi possível conciliar estes dois momentos em minha vida. Durante a semana ficava com ela, e em alguns finais de semana que eu fotografava ela ficava com meu marido. Ele sempre me deu muito apoio. Por isto talvez, nunca tenha pensado em deixar a fotografia para só me dedicar a maternidade, tive a possibilidade de viver estes dois momentos ao mesmo tempo. Ser mãe e ser fotógrafa sempre me fez muito feliz.

Após o nascimento da sua segunda filha algo mudou com relação a seguir com a fotografia como profissão? 

Quando fiquei grávida de minha segunda filha, Joana, foi um pouco complicado, eu estava com a agenda de casamentos bem lotada! Mas em nenhum momento parei de fotografar, para isto acontecer, houve uma grande mudança, meu marido começou a fotografar os casamentos junto comigo, e desde então são quase 10 anos de parceira na vida e na fotografia.

Como as suas filhas encaram seu trabalho?

Elas admiram e gostam, mas sentem saudades…

 O que você pensa sobre essa dupla função maternidade e trabalho? Teria alguma dica para as mães?

Para mim é como uma balança, de um lado está meu trabalho e do outro minhas filhas e minha família, minha busca diária é sempre tentar deixar os lados equilibrados. Lógico que tive momentos em que um lado ficou mais em evidência que o outro, mas procuro não “sofrer” com isto e sim compensar de alguma forma.

Minha dica? Acho que é fazer o que gosta, para a realização pessoal nos preencher, e assim estar bem conosco, desta forma acredito que ficamos mais felizes, e o “estar bem”,  é fundamental para levar esta dupla jornada.

O que você tem a dizer para as mães que tem vontade de retomar a profissão mas sentem-se inseguras?

Fique tranquila, curta este momento da maternidade, afinal os filhos crescem tão rápido e o tempo não volta. Na hora certa você irá encontrar seu tempo e seu espaço.

E para aquelas que gostavam de fazer algo e pararam por falta de tempo pois se tornaram mães? 

Não se culpe, a vida de cada um tem uma dinâmica e um porquê… O importante é estar em paz com o momento em que vivemos.

E aquelas que sonham em aprender algo novo mas acham que já está tarde demais?

Acho que nunca é tarde para aprendermos algo novo, pelo contrário, nos enche de vida!

Para as apaixonadas por fotografia, alguma dica para seguirem em frente e se aprimorarem mesmo que seja só como hobby?

Hoje em dia a fotografia está muito próxima e inserida na vida das pessoas, e com isto temos muitos sites, blogs e cursos disponíveis online.

Segue abaixo 2 links com informações e inspirações :)

http://www.mcpactions.com/

http://photos.uol.com.br/

E na prática, minha dica pessoal é… fotografe seus filhos!! Deixe sempre a câmera por perto…

Nossas memórias são nossos bens mais valiosos e a fotografia tem o poder de guardar estes instantes para vida toda!

Faça backup de suas imagens! Pelo menos em 2 lugares (HD externo, DVDs, Nuvem, por exemplo)

Amplie suas fotos, coloque suas imagens no papel.

E como hobby ou profissão, fotografe aquilo que faz seu coração vibrar.

       foto-3foto-3

 

 

(Visited 566 times, 1 visits today)
Thaís Vilarinho

Mãe de dois meninos lindos Matheus e Thomás, Fonoaudióloga Clínica. Pratico corrida e Muay Thai. Adoro escrever, viajar, escutar música, ver um bom filme, sair e estar com a família e os amigos. Sou curiosa, adoro conhecer e aprender coisas novas.

Share This Post

1 Comentário

  1. Priscilla Cazarim - 17 de maio de 2014

    Rafaela, parabéns pela sua sensibilidade e obrigada pela entrevista! O seu exemplo de mãe dedicada e profissional apaixonada pelo que faz, nos inspira e nos motiva a seguirmos um caminho de equilíbrio entre a maternidade e a busca de realizações pessoais. Beijos

Escreva um comentário