Camila Klein fala de maternidade

Camila Klein fala de maternidade

A nossa entrevistada de hoje é a arquiteta Camila Klein, mãe de uma menina linda de 2 anos chamada Betina. Veio do Rio Grande do Sul em busca de realizar um sonho: trabalhar com o renomado arquiteto Ruy Ohtake, conseguiu um teste, passou, e integrou-se ao  time de arquitetos de Ohtake. Trabalhou pouco mais de um ano, e depois seguiu sozinha para montar seu próprio escritório. Hoje é referência quando se fala em arquitetura de ambientes.

img_7513-300x300

Camila, Obrigada pelo carinho, e pela entrevista!

MFC: A decisão de engravidar foi planejada?

CK: Sim foi planejada, tanto que calculei o prazo exato para que a Betina nascesse antes da Casa Cor, que ocorre em maio, ela nasceu em abril. Eu sabia que precisava engravidar nesse período para que eu não estivesse no final da gestação durante o Casa Cor .

MFC: E como foi a sua gestação?

CK: Excelente. Uma gestação incrível, super tranquila. Logo na primeira semana eu tive um pouco de gastrite. Tomei um remédio não passou, estranhei… e caiu a ficha que eu pudesse estar grávida. Mas realmente não senti enjoos, tive algumas vontades como tomar suco de tomate e comer azeitonas. Talvez por causa do meu ritmo de trabalho intenso, mantive minha cabeça ocupada e não tive tempo para mal estar. Segui fazendo meus exercícios, claro que no início peguei mais leve nos aeróbios, na reta final também, pois ela ficou na posição pélvica. Engordei 9 quilos, não precisei comprar muitas roupas, usei vestidos e calça com elastano. Acredito que existem mulheres que quando engravidam, incorporam pra sim, que é uma mudança imensamente maior do que é de fato. Para mim a mudança foi só para melhor. A gravidez pra mim foi a minha plenitude.

MFC: O que te surpreendeu com a maternidade?

CK: O que mais me surpreende é me reconhecer nela. Ela é super atenta em tudo ao seu redor, assim como eu. Me surpreendeu também conhecer a minha maior força! Porque é na maternidade que se encontra a maior força da mulher.

MFC: E essa fase que ela está? Dois anos “terrible twos” como tem sido?

CK: Super tranquilo, é a idade que eu estou curtindo mais

MFC: E o trabalho como você concilia com a maternidade? A culpa aparece?

CK: Acredito que tudo é planejamento. Desde a gravidez eu sempre me preocupei em como conciliaria minha filha e vida pessoal com o trabalho, e a terapia me ajudou muito nesse sentido. Hoje eu tenho horários, rotina, almoço em casa até porquê é a hora da mamada dela, depois volto pro trabalho e às 18hs encerro as atividades. A hora que chego em casa tento desligar do celular e me dedicar a minha família. Planejamento é tudo, quando estou no trabalho estou focada! Claro que tenho “mãos santas” que me ajudam em casa e me dão tranquilidade e segurança para estar trabalhando.

MFC: O Mãe fora da Caixa incentiva  mulheres/mães a fazerem coisas que as fazem felizes fora a maternidade. E você? O que te faz feliz fora a maternidade?

CK: O trabalho, o exercício…não abro mão da minha massagem que eu amo! Acho que o equilíbrio entre tudo é o segredo para ser feliz!

Jogo rápido:

Comer: edamame om chimarrão

Saudade: da minha infância

Cheiro: da minha filha

Um estresse: a falta de palavra

Mania: de organização

Uma preguiça: do trânsito

Lugar preferido: minha casa

Melhor hora do dia: inicio da manhã que eu fico com a Betina no hora do café da manhã!

Uma cor: branco

img_1008

(Visited 631 times, 1 visits today)
Thaís Vilarinho

Mãe de dois meninos lindos Matheus e Thomás, Fonoaudióloga Clínica. Pratico corrida e Muay Thai. Adoro escrever, viajar, escutar música, ver um bom filme, sair e estar com a família e os amigos. Sou curiosa, adoro conhecer e aprender coisas novas.

Share This Post

Escreva um comentário