Marina Sanvicente, mãe com personalidade!

Marina Sanvicente, mãe com personalidade!

Tivemos o prazer de fazer uma entrevista com a Marina Sanvicente! Ela já foi modelo, e hoje é uma das donas do Colheita Especial que já falamos aqui no blog! Mãe da Luna de 11 anos e Ravi de 4, já passou por duas separações e continua firme no propósito de ser feliz, para mostrar aos filhos a importância de sempre buscarmos o caminho da felicidade!

Com um pouquinho de conversa já da perceber que toda aquela beleza, e o brilho dos lindos olhos azuis, só reflete o que, na verdade, ela é na sua essência! Calma, determinada e com ideais super importantes ela nos contou um pouquinho da sua trajetória no mundo materno!

MFC: Como começou a sua experiência com a Maternidade?

MS: Eu engravidei muito nova tinha 20 anos. No primeiro momento foi um susto, mas muito rapidamente aceitei e segui em frente feliz com a gravidez! O meu namorado na época e pai da Luna, era surfista profissional e vivia viajando, por isso depois que a Luna nasceu, acompanhávamos ele em algumas viagens! Mas com o tempo o relacionamento foi esfriando e decidi seguir a minha vida. Até hoje ele viaja bastante a trabalho mas, mesmo com a distância, a Luna adora o pai e tem um relacionamento muito legal com ele!

image

MFC: E como foi ser tão nova com uma filha e sem o pai dela por perto?

MS: Eu já estava acostumada a ficar só eu e a Luna, pois ele sempre estava viajando. A Luna ia comigo para cima e para baixo. Ela sempre foi muito tranquila. Quando eu ia trabalhar (como modelo) todo mundo queria segurar ela no colo. Sempre digo que a Luna é uma benção na minha vida e só me trouxe coisas boas!

MFC: E depois como foi o segundo casamento?

MS: Foi diferente, era tudo redondinho, ele não viajava e sempre foi super presente com a Luna. Apesar dela ter pai e amá-lo, o meu ex-marido se tornou uma referência masculina muito forte para ela, ia nas reuniões da escola…  O meu marido na época queria ser pai e a Luna queria muito um irmão (ã)! Eu estava muito tranquila em uma outra fase focada no Colheita, decidi esperar um pouco. Quando já estávamos morando juntos a um ano com um ótimo relacionamento, ( eu também não queria ter um filho só) eu pensei: Por que não? E como eu engravido super rápido logo estava grávida.

image[1]

MFC: E como foi essa segunda separação?

MS: Muito difícil. Fiquei morrendo de medo. Porque eu ia sair de uma vida muito estável , casa, família, babá! Os avós (pais do meu ex) são avós super queridos e estavam sempre por perto, meus pais eu sei que posso contar quando eu precisar mas eles moram no sul. É por tudo isso que eu não estava me separando só dele, e sim deixando para trás tudo o que envolvia o nosso casamento.O mais difícil era saber que tudo aquilo era importante para os meus filhos! Fiquei dois anos em crise para decidir me separar! Acho que devemos tentar até o limite, mas o meu limite chegou! Então decidi, peguei os dois, e comecei a minha vida do zero sem nada! Foi muito difícil no ínicio, tanto o emocional como a parte prática, aluguei um apartamento e fui arrumando aos poucos! Hoje depois de 1 ano e meio eu posso dizer que estou ótima! Meu filho, que demorou um pouco mais para se adaptar, está super bem, as coisas estão fluindo perfeitamente e eu não me vejo de outro jeito.

Estou abrindo geral pois acho importante dizer, através da minha experiência, que eu acho que homens e mulheres, mas mais as mulheres, aceitam muita coisa e vivem infelizes por medo! Tem tantas coisas para serem vividas! Quando não aguentamos mais precisamos nos respeitar por que senão seremos mães infelizes e nossos filhos vão achar que é normal viver infeliz.

MFC: Olhando para trás, você acha que realmente valeu a pena seguir o seu coração?

MS: Valeu! Teve uma época logo após a separação que a minha filha falava para mim: Mãe eu não aguento mais te ver chorando! Fazia gracinhas para me fazer rir. Então eu falei para ela: Filha, está difícil mesmo, mas uma hora vai passar! Eu chorei uns meses mas não porque eu estava arrependida, e sim pela perda. A separação é um sonho desconstruído, um luto que temos que viver! É triste,e é sofrido, mas passa e passa para a melhor! Hoje eu lembro e não sinto dor nem rancor, nada de ruim. Na verdade, eu acho que, toda a relação vai servir para algo. Não podemos ser negativos e só vermos o lado ruim porque sempre tem algo bom para tirarmos das experiências e relacionamentos que passamos.

MFC: Você teve apoio das amigas nesse momento?

MS: Tive! Minha mãe até falava: Marina para de falar desse assunto elas não devem estar mais aguentando (rsss)! Mas a real é que as amigas e a terapia representam um apoio, um desabafo. Porque a força, na verdade, vem de dentro de você e do amor que sentimos pelos nossos filhos!

MFC: Te assustou ter que cuidar de tudo?

MS: Bastante pois a parte prática não era eu que fazia e demanda muito tempo. Eu não estava acostumada. Precisava me preocupar com o meu trabalho, com as crianças, e com toda a parte prática.

MFC: O que você aprendeu com a maternidade?

MS: Eu sempre fui muito mimada no sentindo de carinho, por isso a maternidade me ensinou a dar sem esperar nada em troca. O amor é isso, dar sem esperar receber! Aprendi isso para a vida e para qualquer relacionamento! Acho que como mãe eu acredito que com amor, conversa e carinho conseguimos resolver qualquer situação!

MFC: Que conselho você daria para uma mulher que pensa engravidar?

MS: Ela deve sentir com o coração dela e não com a pressão dos outros que é isso que ela quer. E se for realmente um desejo dela, ela deve se conectar com essa energia materna e com a bebê. Tem que ter fé e saber que as coisas vão dar certo por mais que não seja a família ideal, se ela quer vai dar certo! Sem culpa! Toda mãe tem que buscar o seu jeito de ser mãe, que é esse jeito,  que vai ser o melhor para o seu filho!

MFC: O que te faz feliz e o que te renova fora a maternidade?

MS: Eu não seria uma mulher-mãe feliz sendo mãe 24 horas por dia! Eu preciso ter o meu trabalho, fazer o meu exercício físico e ter o momento com os meus dois filhos juntos e com cada um separado também! Dou o maior valor para os meus relacionamentos com as amigas, com o namorado. Gosto de trocar experiências e ter papos profundos. E também preciso de um momento sozinha! Quando eu chego em casa tento ao máximo me desconectar do telefone para estar com eles! Essa história de internet hoje em dia é complicado, porque sempre parece que estamos devendo alguma resposta para alguém, mas eu prefiro dever para os outros e não para os meus filhos que precisam de uma mãe presente!

Jogo rápido:

Uma comida: Japonesa

Uma coisa que te estressa: Não conseguir ir para praia!

Algo que te deixa feliz: Pegar estrada

Preguiça de: gente rasa

Lugar preferido: Praia

Melhor hora do dia: Eu sou feliz em todos os momentos do dia!

Mania: Fazer Agachamento rsss

Um Sonho: Conseguir ter uma vida como eu tenho hoje mas mais próxima da natureza.

Uma frase: Se a gente não pira de vez em quando, pira de vez!

image[2]

Marina, Obrigada pelo Carinho! Foi uma delícia te conhecer!

Thaís e Gabriela

(Visited 3.472 times, 1 visits today)
Thaís Vilarinho

Mãe de dois meninos lindos Matheus e Thomás, Fonoaudióloga Clínica. Pratico corrida e Muay Thai. Adoro escrever, viajar, escutar música, ver um bom filme, sair e estar com a família e os amigos. Sou curiosa, adoro conhecer e aprender coisas novas.

Share This Post

Escreva um comentário