Todo o parceiro deve ler

Todo o parceiro deve ler

“Meu amor:

Tivemos uma grande discussão. Eu tinha chegado cansado do trabalho. Eram 20:00, e tudo o que eu queria era sentar no sofá para assistir o jogo.

Quando olhei, vi que você estava exausta. As crianças estavam brigando e o bebê chorava muito.

Eu aumentei o volume da TV.

‘Não fazia mal se você me ajudasse um pouco e se envolvesse mais na educação de seus filhos’, você falou com o rosto trancado, enquanto baixava o volume da TV. Eu, com raiva, respondi: ‘Passei o dia trabalhando para que você fique em casa e brincar com bonecas.’. Você chorou de coragem e fadiga. Eu disse coisas cruéis… Você saiu de casa chorando, e me deixou sozinho com as crianças.

Eu tive que lhes dar o jantar e colocar as crianças para dormir. No dia seguinte, você não tinha voltado, e tive que pedir o dia de folga para o meu patrão, e ficar a cuidar dos meninos. Eu vivi birras e lágrimas. Eu vivi o estar correndo sem parar e não ter um momento nem tomar banho. Eu vivi o ter de preparar o leite, vestir as crianças e limpar a cozinha ao mesmo tempo.

Eu experimentei estar preso durante todo o dia sem falar com ninguém maior de dez anos.

Eu vivi o não ser capaz de comer em paz, sentado em uma mesa, por estar perseguindo uma criança.

Eu experimentei estar tão física e mentalmente exausto que só queria dormir por horas, mas tinha acordar às três horas porque o bebê estava chorando.

Passei esses dias “na sua pele” e posso dizer que agora entendo

Eu entendo a incerteza que você sente por a sua economia não depender mais de você, mas do seu parceiro.

Eu entendo os sacrifícios de não ter praticamente nenhum tempo só seu.

Eu entendo o quão difícil pode ser estar fechada a cuidar dos filhos e a sensação de perder o que acontece lá fora.

Até entendo sua raiva quando a minha mãe critica a sua maneira de educar nossos filhos  porque ninguém sabe o que é melhor para os filhos do que a própria mãe.

Eu entendo que você, ao ser mãe, carrega o fardo mais pesado da sociedade. Ninguém o reconhece valoriza, nem remunera.

Escrevo para que volte porque sinto sua falta.

“Você é muito corajosa, está fazendo um bom trabalho e lhe admiro.

Autor desconhecido

(Visited 231 times, 1 visits today)
Thaís Vilarinho

Mãe de dois meninos lindos Matheus e Thomás, Fonoaudióloga Clínica. Pratico corrida e Muay Thai. Adoro escrever, viajar, escutar música, ver um bom filme, sair e estar com a família e os amigos. Sou curiosa, adoro conhecer e aprender coisas novas.

Share This Post

2 Comentários

  1. josinete - 21 de fevereiro de 2017

    E muito lindo, e verdadeiro as vezes passo o dia em casa com meu bebê, começo a contar os segundos esperando alguém chegar e ficar com ele pra que eu possa tomar um banho sem precisar sair correndo porque o bebê prendeu a perna na grade do berço ou entrou no banheiro, e muitas vezes V
    O marido cansado do trabalho só quer ir dormir porque amanhã trabalha cedo.
    As vezes só quero 5 minutos de descanso.
    Desabafos de mamãe

Escreva um comentário