Sobre o dia da mulher, mudar é preciso

Sobre o dia da mulher, mudar é preciso

A vida tem me surpreendido ou sei lá, talvez eu esteja me surpreendendo comigo mesma. Porém, conversando com amigas percebo que isso não é algo só meu. Após os filhos crescerem e a gente poder sair um pouco da “caixa materna” que nos envolve e suga todas as nossas energias, começamos a ver o mundo e nós mesmas com outros olhos.

Na verdade não é a possibilidade de sair mais que faz com que a gente mude, mas sim os nossos próprios pensamentos que fazem essa revolução toda acontecer.

Com a maturidade nossos pensamentos e atitudes vão se tornando cada vez mais independentes do que os outros pensam a nosso respeito. Temos muito mais forte o nosso querer e o nosso pensar. Paramos de nos preocupar em agradar a todos e passamos a nos voltar mais para nós mesmas, e isso é tão bom!

Tão mais leve para a gente não se preocupar em agradar a todos, não ligar em “estar bem” com todos, mas sim com quem realmente importa. E se estar bem mesmo com quem a gente ama significa ir contra algo que nós acreditamos, também começamos a repensar.

Alguns podem até olhar como egoísmo, mas a questão não é ser egoísta e sim respeitar seus pensamentos, mas nunca deixando de ter respeito pelo próximo.

Será que após tanta dedicação aos filhos acabamos amadurecendo em uma velocidade maior e nos valorizando mais? Não sei a resposta, só sei que tem acontecido muito isso comigo. Sinto uma evolução constante no meu pensar e no meu agir. E ando amando esse lance de pensar repensar, mudar de opinião, errar, acertar mas nunca parar de mudar.

Mudar de opinião é tão nobre. Significa que você voltou a pensar em algo com tanta atenção que decidiu mudar seu pensar a respeito do assunto. Significa que você tem cabeça aberta para pensar em algo que já é fechado para você. Significa ser flexível, Lembrando: mudar de opinião é totalmente diferente de ficar em cima do muro, quem fica em cima do muro não tem opinião. Acho que por isso que não gosto de gente em cima do muro. Ter opinião e estar livre para repensar é algo extremamente importante para quem quer ter essa revolução interna maravilhosa.

A sensação que eu tenho é que com o passar dos anos a gente se basta. Claro, amo estar com a minha família, com minhas amigas, mas hoje em dia eu com os meus pensamentos já me faz tão feliz. Acho que se auto conhecer tem muito disso, quem se conhece, quem olha lá para dentro de verdade está sujeito a muitas mudanças. Quem amadurece dessa maneira sente uma coisa tão boa chamada segurança em si, e isso é o melhor presente que podemos nos dar.

Às vezes me assusto com o que encontro e com as minhas mudanças. Mas melhor assim, sentir as coisas com profundidade do que não sentir

Sinto que hoje, para mim, cada dia é uma metamorfose, cada dia é um aprendizado, cada dia evoluo um pouquinho.

(Visited 277 times, 1 visits today)
Thaís Vilarinho

Mãe de dois meninos lindos Matheus e Thomás, Fonoaudióloga Clínica. Pratico corrida e Muay Thai. Adoro escrever, viajar, escutar música, ver um bom filme, sair e estar com a família e os amigos. Sou curiosa, adoro conhecer e aprender coisas novas.

Share This Post

2 Comentários

  1. zilda drummond - 8 de março de 2016

    Querida Thaís, sim, isso é a maturidade… e ela tem esse lado positivo que é se permitir, se reinventar, se agradar… Sinto isso tb!!! A gente aprende a se achar importante… e valorizar nossas vontades!!! Adoro seus textos pois me encontro em todos eles!!! Bjos.

Escreva um comentário