TeoriaXPratica na maternidade

TeoriaXPratica na maternidade

Na gravidez do primeiro filho fazemos cursos, lemos livros e então achamos que está tudo sob controle.

Aí, quando a realidade chega percebemos que a teoria é uma coisa e a prática é outra!

Não demora para notarmos, que na grande maioria das vezes, a teoria não resolve o nosso problema. E o principal, sentimos que nenhum dos livros e nenhum dos cursos é melhor do que o nosso instinto materno.

Mas a gente não percebe isso na hora que nos deparamos com o problema já que preferimos seguir o que aprendemos no teoria. Afinal, como os maiores experts poderiam estar errados? Entendam, não estou aqui criticando experts no assunto, eles podem ajudar muito. Entretanto em algumas situações acho que só o nosso instinto salva.

Comigo ele apareceu no segundo dia de vida do meu filho enquanto eu tentada amamenta-lo

Eu, recém mãe com o meu bebê no colo. Ele não conseguia fazer a pegada para mamar. Imagina a cena: várias enfermeiras meu peito doendo de tanto leite, meu bebezinho chorando no meu colo e nervoso porque estava com fome. E me lembro que eu suava.

Enfim, meu peito estava tão cheio de leite que parecia prestes a explodir. As vozes das enfermeiras dizendo: “coloca ele sentado, vai ser melhor”, “segura ele mais para baixo”, foram ficando distantes e me veio um pensamento: fica sozinha com o seu filho! Peça por favor para todos saírem! E foi o que eu fiz. Ouvi meu instinto!

A sós com ele consegui parar e olhar para a situação. Percebi que ele não conseguia pegar o bico porque o peito estava muito cheio e o bico era pequeno. Fui no banheiro e puxei o bico como uma “massagem” para ele ficar um pouquinho maior. Lavei meu rosto, tive medo de não conseguir amamentar, encontrei coragem e fui! Com calma e sem ninguém por perto, puxei o bico de novo e pressionei a parte de cima para ele conseguir pegar. Tentamos algumas vezes até que ele conseguiu mamar! Foi uma sensação tão boa ter seguido o meu instinto!

Precisamos estar atentas, ele costuma aparecer nas horas mais difíceis. Então quando nenhuma das teorias resolver, observem, ele estará lá. E para ouvi-lo é preciso estar de coração aberto e ter uma dose de confiança em si mesma.

(Visited 108 times, 1 visits today)
Thaís Vilarinho

Mãe de dois meninos lindos Matheus e Thomás, Fonoaudióloga Clínica. Pratico corrida e Muay Thai. Adoro escrever, viajar, escutar música, ver um bom filme, sair e estar com a família e os amigos. Sou curiosa, adoro conhecer e aprender coisas novas.

Share This Post

Escreva um comentário